quarta-feira, janeiro 16, 2008

Lies, damn lies and stastistics

O homem não tem mesmo emenda

13 Bitaites:

parreirex mandou o bitaite...

manfio, como sempre.

o problema é que este tipo de pequenas coisas passam subtilmente despercebidas pelos grandes meios de comunicação social e até - o que é pior, e sintomático da qualidade política - da oposição.

Tóchã mandou o bitaite...

"Não graças a uma melhoria das condições de vida, mas devido à estagnação do rendimento dos portugueses."

Combate-se então a probeza com a estagnação do rendimento dos portugueses... não me parece que esta conclusão seja mais honesta que a declaração do PM.

"observamos que existiu uma convergência do rendimento dos pensionistas com o rendimento mediano nacional"

uma coisa que não vi respondida ou vai contra a frase acima transcrita foi...existiu convergencia do rendimento dos pensionistas porque?
Porque aumentaram os mais pobres? Se assim nao fosse nao deviam cair todos medianos ou medias que fossem?

Como disse a declaração do PM segundo a explicação do post nao me parece honesta assim como por exemplo a conclusão do post.

Tóchã mandou o bitaite...

A juntar a isso está nos comments que os dados do ine sao de 2005 o que acaba com a teoria toda dos gajos!!!

ma vafanculo para ambos é o que é!!!

Anónimo mandou o bitaite...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo mandou o bitaite...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo mandou o bitaite...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo mandou o bitaite...

Acho que não percebeste bem:

A ideia é que a taxa de pobreza é calculda a partir da mediana dos rendimentos, ora as pessoas com rendimentos medianos perderam poder de compra( o rendimento destes aumentou 1,7% enquanto a inflação foi de 2,5),ou seja,de uma forma simplificada: em termos reais a mediana desceu. Assim, algum do pessoal com rendimento muito baixo, cujo poder de compra se manteve ou aumentou muito ligeiramente, viu os seus rendimentos aproximaren-se da mediana sem isto significar uma melhoria significativa das suas condções de vida, apenas pela degradação das condições de vida dos trabalhadores nos patamares medianos.

Acho que é isso que eles querem dizer com: "Não graças a uma melhoria das condições de vida, mas devido à estagnação do rendimento dos portugueses."-as condições de vida das pessoas não se alteraram ou a alteração foi residual; o que se verificou foi que a estagnação económica( implicando a "descida da mediana") mudou a alteração do parâmetro estatistico que define a pobreza.

Vê este exemplo :há uns anos o Fernado Ulrich afirmou que se deviam cortar todos os ordenados em 10%, de forma a, de uma vez, pôr fim aos problemas das finanças publicas. Se isso tivesse acontecido, e ao mesmo tempo prestações sociais como as pensões não vissem o seu valor alterdo(já agora o salário minimo tb), então verificer-se-ia(parece-me, estas coisas devem ser pensadas com calma mas já é muito tarde),paradoxalmente, em principio, uma importante redução na percentagem de individuos em situação de de risco de pobreza.

Admito q para casos como estes existam procedimentos correctores. N sei, para grande pena minha n pisco muito de economia

Anónimo mandou o bitaite...

Em relação ao 2005/2006, de facto contradiz a hipotese do complemento de reforma, mas o fundatal mantem-se: os pensionistas mantiveram ou aumentam mt ligeiramente o poder de compra, o resto do pessoal perdeu(acho q os aumentos de ordenados tiveram mais restrições que as pensões mas estou a falar de cor), fazendo a mediana "descer".

Os ladrões aqui cometeram o pecado capital de acreditar numa porção -ainda que residual- do discurso do Socrates, atitude bastante insensata como se pode constatar.

(Anyway nada nos garante q os ladrões tb n estejam a deturpar interessadamente uma parte dos factos, qd um gajo n percebe sujeita-se a isso)

Tóchã mandou o bitaite...

O que percebi foi que o Sócrates se vangloriou praticamente sem razão ou com um aparato que chamava tudo a si quando me parece que não é verdade. A mim parece-me obvio que usufrui da conjuntura e depois abusou dela…mas…

A frase do gajo:

"Não graças a uma melhoria das condições de vida, mas devido à estagnação do rendimento dos portugueses."

E a tua frase:

“Assim, algum do pessoal com rendimento muito baixo, cujo poder de compra se manteve ou aumentou muito ligeiramente, viu os seus rendimentos aproximaren-se da mediana sem isto significar uma melhoria significativa das suas condções de vida, apenas pela degradação das condições de vida dos trabalhadores nos patamares medianos.”

Acho que não consigo perceber, por isso coloco uma questão:

Se não houvesse essa ninharia era possível a esses tais mais pobres AUMENTAREM O PODER DE COMPRA (ficarem menos pobres) ainda que ligeiramente ou pelo menos mantê-lo ao contrário dos outros acima da mediana, ou não?

Tóchã mandou o bitaite...

ou seja..nao se degradavam também?

Anónimo mandou o bitaite...

Mais uma vez acho que percebeste mal (ou então estou a ser a não captar a tua ideia):

Os gajos não se pronunciaram contra o complemento de reforma, antes pelo contrário, pretendiam com o artigo denunciar a forma desonesta como os resultados foram apresentados. Socrates não disse : ”a situação está difícil a generalidade do s portugueses vive hoje pior do que há 1 ano mas conseguimos que o nível de vida dos mais carenciados permanecesse estável, nalguns casos até com ligeiras melhorias”; pelo contrário apresentou um discurso onde fazia passar os números como sinal de progresso social, como marca distintiva de um governo de “esquerda”. Ora nem mais empedernido dos comunistas deve ficar satisfeito com uma conjuntura onde a igualdade é obtida pela erosão das condições de vida das classes medias (medianas neste caso) sem que isto leve a uma significativa melhoria da situação dos indivíduos economicamente mais vulneráveis. Socrates pretendia com o seu discurso, dirigido sobretudo para a maioria da população (onde me incluo) que não sabe nada disto das mediana, dar a entender que a redução da pobreza estava relacionado com progressos na luta contra pobreza: pobreza real entenda-se - fraco consolo saber que estatisticamente já não pobres de ser pobres quando o dinheiro no bolso(dinheiro real), com as dificuldades associadas, se mantém .

Tóchã mandou o bitaite...

"Os gajos não se pronunciaram contra o complemento de reforma, antes pelo contrário, pretendiam com o artigo denunciar a forma desonesta como os resultados foram apresentados"

Eu percebi também isso mesmo e concordo.

e sim, acho que estamos desintonizados, a falar de coisas diferentes.


Eu falei foi da forma como o texto estava redigido e denunciei eu, pelo mesmo principio deles (aqui nao estatistica mas sim uma prosa um pouco desosnesta), a forma como apresentaram a noticia, entre as quais:

"Logo, é natural que a taxa de pobreza caia."

tudo bem, nao pensei muito no assunto mas acredito e creio até.

"Não graças a uma melhoria das condições de vida, mas devido à estagnação do rendimento dos portugueses."

Tudo mal!!! na realidade podemos ler também no texto deles que houve quem ficasse com melhores condições de vida, por mais que nao fosse porque nao desceu, e são esses tais os mais pobres, logo não acho que este final fosse o mais feliz.

mas não é só esta frase, esta conclusao é que serve de titulo ao que eles andaram para ali a fazer no texto, a dar a volta à coisa, como fez socrates com os numeros

Tóchã mandou o bitaite...

Este post foi muito pertinente e para mim util no futuro!!!

se tivesse visto isto na televisão tinha a mamado e já tinha uma das tais tres para troca com o Parreira!!