quarta-feira, janeiro 09, 2008

3 promessas para troca

sócrates anunciou a já esperada quebra de mais uma promessa eleitoral: a realização de um referendo para o tratado europeu. (a desculpa também era mais que esperada, que o tratado já não é o mesmo - este é o tratado de lisboa, bla bla - apesar de os seus redactores dizerem que é na essência igual (falta o hino e a bandeira, ok), e o que ele tinha prometido referendar era o outro. tangas...).
assim de repente, lembro-me de 3 grandes promessas da campanha eleitoral que sócrates não cumpre: o referendo do tratado, a não subida de impostos e a criação de 150 mil(!!!) novos empregos. 3 e meia, já agora, dado que a promessa das SCUT's não serem pagas se prepara para também ser esquecida.
se alguém tiver 3 promessas de impacto equivalente da campanha PS e que tenham sido cumpridas para apresentar troco por estas, mas duvido que apareçam.

P.S. não que eu seja a favor do referendo. pelo contrário, não me parece que o povo (onde me incluo) esteja suficientemente preparado para decidir um assunto destes. é uma questão bem diferente do aborto, onde toda a gente, bem ou mal fundamentada, tinha opinião sobre. não que os deputados (do PS, já agora) estejam suficientemente preparados para decidir um assunto destes, mas enfim...

5 Bitaites:

primeira mandou o bitaite...

Eliminar a burocracia e os actos inúteis
Uma parte substancial dos meios afectos aos serviços da Justiça continua a praticar actos inúteis ou dispensáveis. Os cidadãos e as empresas não podem ser onerados com imposições burocráticas que nada acrescentam à qualidade do serviço e representam um encargo financeiro para o Estado, quando apenas persistem por tradição ou inércia.
Para desonerar os cidadãos destas imposições burocráticas, o Partido Socialista propõe-se criar o cartão comum do cidadão, reunindo as informações de identificação civil, do contribuinte, do utente de saúde, do eleitor e todas as demais que possam ser associadas nos termos constitucionais; adoptar o documento único automóvel, reunindo o registo automóvel e as informações da Direcção-Geral de Viação; e criar a informação predial única, reconciliando e condensando sistematicamente a realidade factual da propriedade imobiliária com o registo predial, as inscrições matriciais e as informações cadastrais.
No que respeita às empresas, serão reduzidos os actos e diligências para a sua criação jurídica, possibilitando que ela se concretize em apenas um dia e pondo à disposição dos interessados empresas pré-constituídas, sendo instituída também a informação empresarial unificada, reunindo, reconciliando e mantendo actualizado um conjunto informativo único, completo, desmaterializado e universalmente acessível.
No interesse conjunto dos cidadãos e das empresas, serão simplificados os controlos de natureza administrativa, eliminando-se actos e práticas registrais e notariais que não importem um valor acrescentado e dificultem a vida do cidadão e da empresa (como sucede com a sistemática duplicação de controlos notariais e registrais). Serão ainda extintas as circunscrições e competências territoriais, nomeadamente em matéria de registos, tendo em conta a desmaterialização e a informatização de procedimentos.


SIMPLEX

segunda mandou o bitaite...

reforma da justiça

ciudado com os numeros mandou o bitaite...

"Se analisarmos apenas o período da governação socialista verificamos que foram criados, desde Junho de 2005, 72 056 empregos" in correio da manha

axi mandou o bitaite...

"Não que eu seja a favor do referendo. pelo contrário, não me parece que o povo (onde me incluo) esteja suficientemente preparado para decidir um assunto destes."


Frase muito perigosa...

Anónimo mandou o bitaite...

A reforma da justiça está a ser um fiasco.Reduziram as férias judiciais, o português tipico invejoso e ressentido aplaudiu, e na prática ficou quase tudo na mesma... Onde está a famosa reestruturação do mapa judiciario, precisamos de fechar tribunais não (todas estas) unidades de saude.

(já agora o cartão unico já entrou em vigor?)

A cena de criar 150000 empregos, era no sentido de reduzir o número de desempregados em 150000 como se entendia pelas declarações na epoca. Afinal os administradores de uma empresa que tem 100000 empregados fecha e depois aparece com designação nova contratando 3000 a recibibo verde devem receber o nosso louvor pelos 3 milhares de empregos criados?