sábado, novembro 17, 2007

Sobre identidade e cosmopolitismo

Num mundo cada vez mais globalizado e intercultural põe-se a questão da identidade cultural de cada pessoa.
A identidade cultural é algo de complexo, é constituído por memórias de locais e pessoas ao longo da vida. Eu pessoalmente sinto-me tanto alemão como português. Até vir a Portugal sentia-me mais alemão, hoje em dia já me sinto igualmente português e em particular da Beira Baixa, coimbrense e lisboeto.
Existem diversas outras linhas para a identidade cultural como o é a lingua portuguesa, a qual é partlhada com o Brasil e os PALOP ou no meu caso também a lingua alemã. Está-se a construir o projecto da União Europeia o qual, tendo em conta a história sangrenta desse continente, pode ser vista como milagre e leva a acreditar que a paz mundial é possível.
Tive a sorte de crescer com duas linguas e sobre a influência de duas culturas diferentes. Foi também estimulante o conhecimento de diversos estudantes de Erasmus, contacto esse que me demonstrou que existe mesmo algo em comum entre os europeus.

Vi recentemente nas noticias uns gajos do PNR a falarem do "orgulho de serem portugueses" e a rejeitarem tudo o que é estrangeiro, é uma visão de vida pobre e vazia, pois quase tudo o que se diz ser português veio alguma vez de fora. As diferentes culturas é algo para descobrir e não para excluir da vida. Ser patriota sim (eu apoio por exemplo a selecção portuguesa nas competições), mas a partir do momento em que passa para nacionalismo já é algo de negativo. Uma sociedade vai evoluindo a partir de influências de outras culturas ao longo do tempo.


Distingo entre dois tipos de enriquecimento cultural:

1) A forma activa: Uma pessoa resolve explorar outras países em férias e conhecer as culturas correspondentes.

2) A forma passiva: Uma pessoa conhece outras culturas pela imigração de individuos de outros países.


A única coisa que é pena é que a vida não chega para explorar toda a diversidade humana.

3 Bitaites:

Axioma mandou o bitaite...

@ ger


Fui eu q te telefonei no sabado à noite, não era nada de importante(apenas esclarecer uma dúvida sobre a lingua alemã)

Tóchã mandou o bitaite...

@ - axioma

Inseres-te portanto nos activos

Paulo Alemão mandou o bitaite...

@ axioma

Quem atendeu o telemóvel foi a minha irmã a quem eu emprestei o meu telemóvel.

Se a dúvida de alemão persistir sempre posso esclarece-la. :)