quarta-feira, junho 20, 2007

Pluralismo

Uma frase que descreve muito bem a minha postura relativamente a debates é a seguinte:

«Para se estar em melhores condições para se defender uma dada posição politica (ou não politica) é ideal que se consiga inventar argumentos para a posição oposta.»

Não sei se alguem já alguma vez disse essa frase (portanto que haja plágio por minha parte), mas está no espirito do racionalismo critico.
O racionalismo critico é segundo Karl Popper a postura que reconhece "que eu posso me enganar que tu possas ter razão e que nós os dois juntos possamos nos aproximar da verdade."
Popper é portanto um defensor do pluralismo.
O que eu defendo é mais do que isso, é que o debate pode ser feito dentro duma pessoa, eu chamo a isso "pluralismo mental". Ou seja uma pessoa descobre por si próprio argumentos para as mais variadas posições politicas e tira depois as suas conclusões, que serão sempre provisórias.

5 Bitaites:

parreirex mandou o bitaite...

hum...
isto ocorreu-te depois de teres visto a helena roseta no debate de ontem da sic notícias, para as intercalares da tua cidade??

Paulo Alemão mandou o bitaite...

@ parreirex

Não estou recenseado aqui em Lisboa. E também tive a infelicidade de não ter visto o debate.
Isto ocorreu-me depois de ler algumas cenas de gajos como Karl Popper ou Ralf Dahrendorf, que estão muito próximos da minha orientação politica.

Tóchã mandou o bitaite...

Grande Ger!!!
Estão próximos mas ainda lhes falta um bocadinho.

parreirex mandou o bitaite...

@ ger,
já agora, se votasses em Lisboa, em quem votarias???

Paulo Alemão mandou o bitaite...

@ parreirex

Votaria no mal menor... António Costa.
Tendo em conta que Lisboa precisa de uma maioria confortável e o António Costa ser o único a ter condições de atingir tal.
Pode-se concluir fdaí que não sou uma pessoa que vota por convicções, mas sim por pragmatismo.
Por exemplo no meu distrito actual (castelo Branco) só faz sentido votar em PS ou PSD, e portanto nunca me passaria pela cabeça votar num outro partido mesmo sendo essa a minha convicção, por motivos pragmáticos.

Atenção: Que estou a tentar de escrever algo minimamente sóbrio, nãso o estando de facto. :)