sábado, fevereiro 11, 2006

Ovo ou galinha

Em seguida vem a evolução do vencimento real dos trabalhadores do sector productivo de diversos países de 1995 até 2004:

Suécia +25.4%
Reino Unido +25.2%
Dinamarca +15.6%
Holanda +11.9%
França +8.4%
Bélgica +6.4%
Espanha +5.4%
Itália +2.0%
Alemanha -0.9%

O Reino Unido, a Suécia e a Dinamarca são precisamente (além da Irlanda) os países com melhor performance económico na União Europeia.
Põe-se agora a questão: O que vem primeiro o crescimento económico ou a súbida dos vencimentos?
Que ilações a tirar para o caso português?

4 Bitaites:

o povo unido mandou o bitaite...

CGTP UNIAO SINDICAL !!!!!!! CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!CGTP UNIAO SINDICAL !!!!

Jose Mario Branco mandou o bitaite...

Que conclusões a tirar para Portugal?
Nenhumas. Nos ultimos quatro anos os salários têm crescido abaixo da inflação sem que isso tenha resultado numa acelaração da economia. Pelo contrário, o problema de competividade é de tal forma grave em Portugal que o consumo privado acaba por ser a unica forma de dinamizar de alguma maneira a economia, ora a estagnação salarial tem contribuido assim para a recessão( não a tecnica mas a virtual) da estrutura activa.
As hilações sobre o caso portugues são outras : a aposta nas vantagens da politica de baixo ordenados revelaram de uma falta de capacidade de antecipação insultuosa, resultando num anacronismo anacronismo implacavel: baixa qualificação,falta de inovação, falta de visão estratégica,baixa produtividade ausência de sentido de risco, corrupção e evasão fiscal a nivel burlesco com salários ,que sendo baixos, não apresentam uma vantagem competitiva em relãção às potências asiaticas.
Ao resuscitar a obsoleta dicotomia salários-crescimento apenas trouxeste a amarga recordação dos erros históricos ascendentes ilustres da situação de hoje...

Paulo Alemão mandou o bitaite...

@ jose mario branco

Penso que devia haver uma maior componente de prémio de produtividade. Nos países anglo-saxónicos existe um ordenado base e depois uma componente que depende da produtividade e do sucesso da empresa...

Zeca Afonso mandou o bitaite...

Muitos sectores da economia Portuguesa já fazem isso, até porque os prémios de produtividade não fazem descontos para a segurança social, assim os patrões acabam por ter parte da despesa de salários não tributada.
O problema é que os salários são tão baixos que usar uma estratégia destas em todos os sectores ,mantendo o nivel de despesas do pessoal, levaria a que muitos ordenados base -sem prémios portanto- ficassem abaixo do ordenado minimo... o que felizmente ainda não é legal.